sexta-feira, 19 de setembro de 2014

Como estou?


- Como estou? Como vão as coisas? Tudo bem, tudo em paz...melhor impossível!

 Mas confesso aqui com meus botões que o tempo passa e muitas vezes, quando as coisas não vão bem, quando não encontro eco, me dá uma vontade doida de gritar teu nome. Só pra ver onde se esconde isto que deveria retornar a nós como resposta aos nossos gestos.
  E me pergunto por que não nasci com asas, que pudessem voar até o teu infinito, onde pudesse encontrar-te. E ser bonita, tanto que pudesse agradar-te.
  E então sumir no teu abraço, e receber teu amor e dar-te o meu. Engraçado que me faz bem escrever-te sobre tal segredo, pois és meu! és meu sonho e então, percebo que em minha visão estaria sorrindo, rindo até, por que não?! ou então, muito silenciosos ficaríamos com medo de que uma palavra me acordasse do sonho e me fizesse cair novamente, das nuvens, do teu abraço, do teu amor.

  - ah!  mas tudo passa, não é mesmo? O tempo passa por minha pele como ventania, e por mim... e fico aqui em segurança, olhando o mundo com o meu melhor olhar, o de ver não o de sonhar, pois este a ti pertence.
   - Como estou? Como sempre...firmemente apoiada na realidade...vendo ainda brilho na vida ao redor, que reflete talvez do meu próprio desejo e do que ainda reste em mim de melhor...
  De resto, como tudo o que vive, envelheço, apodreço e morro lentamente... tudo parece que aqui somos dois... mas tudo bem...tá tudo em paz...nem sei porque este desassossego ainda me vem, como reflexo do sol que bate no espelho e fere os olhos! Talvez...talvez porque tenha incrível capacidade para me amoldar, me adaptar, mas não me conforme com as guerras ou com o amor que se torne grosseiro, disforme.

foto texto: Vera Alvarenga

segunda-feira, 15 de setembro de 2014

Magia...


Por que não vejo de novo aquele gesto teu?
Era magia, eu sei, me lembro bem...
e eu me sentia leve, chegava a voar.
Não sei como fazias,
poucos eram os gestos e palavras
mas me encantavas
e eu, planava no ar.
Até de longe nos entendíamos
como se tivéssemos nos conhecido
sempre, num tempo qualquer atrás...
Tira de novo do teu chapéu
aquilo que me fazia crer
que magia existe
e jamais, jamais vai morrer!

Foto /poema: Vera Alvarenga.

sexta-feira, 12 de setembro de 2014

Tua presença...


Deus! Por que puseste dentro de mim
esta semente que não germinará?

Acaso me querias..assim
quieta, de repente perdida
em meus pensamentos
a lembrar-me do quanto
sou frágil?
Acaso me querias, assim, perdida?
...tendo de me esquecer
do que me permitistes sonhar,
e precisando me reencontrar
a cada dia?
Fica comigo então!
Perdoa-me por me perder...
por não conseguir esquecer...
Já me demoro demais no
sonho infértil de um desejo morto.
Devolve minha antiga alegria!
Preciso derramar sorrisos
no solo em que vivo....
e brotar pétalas de cor.
Aquece-me ...sonha comigo...
mostra-me tua presença,
preciso de um sonho de amor!

Foto /poema: Vera Alvarenga.

"Nem tudo são flores"


Nem tudo são flores!
Fere-me o espinho da saudade
           de ti,
do doce que então, experimentei...
          mas sei..
constantemente relembro ao coração:
- sempre há beleza no caminho.

foto poema: Vera Alvarenga.


quarta-feira, 10 de setembro de 2014

Encontro...


- Que bom que chegou...estava te esperando...


segunda-feira, 8 de setembro de 2014

Meus cabelos super cacheados....

A gente quase nunca tá contente com o cabelo...pelo menos aquelas como eu que já são senhoras e os cabelos são crespos, cheio de cachinhos que armam feito juba de leão, e de manhã, quando a gente acorda estão amassadíssimos.
Quem tem cabelos cacheados como os meus e já não é jovem, pois para os jovens tudo fica bem...rs..., sabe do que estou falando! Todas as manhãs, correr para o banheiro antes que qualquer pessoa nos veja...kkk... e evitar qualquer cafuné porque, dedos desmanchando nossos cachinhos não é nunca uma boa idéia, por mais que quiséssemos receber um carinho como este...rs...
então lavar a cabeça quase todos os dias, ou pelo menos molhá-los para passar creme e com os dedos arrumar os cachos...
 Então resolvi me arriscar mais uma vez e fazer um relaxamento de cachos...seria a última, porque das 2 outras vezes meu cabelo ficou tão liso, espetado e grudado na cabeça que parecia... o que mesmo? uma manga chupada...que horror!!
  Mas desta vez a moça acertou...deixou muito liso pro meu gosto porque pedi apenas para soltar um pouco os cachos, mas parece que eles voaram pra longe!! rs... porém... como ficou enrolado nas pontas, bem, eu gostei!
  Saio na rua, ele despenteia, mas depois volta pro lugar!!! Acordo e ele está lá, quase penteado, só ajeitar com a mão e está pronto! Prático, bem ao meu estilo, que nunca fui de ficar muito tempo no espelho. Brinco com meus familiares, balançando os cabelos.. é novidade pra mim!!..rs..
   Mas a foto mais legal mesmo, foi esta aqui em baixo... foi uma surpresa... eu estava tirando as fotos com o celular, no meu escritório quando, de repente, a luz do sol entre as árvores brilhou ali e...
Vejam só! que efeito legal de luz!
 
Tudo pra me lembrar de que Deus ( aquela imagem de Jesus me acompanha há anos!), está ali no meu escritório e em todo lugar...está no meu coração, e em todo lugar olhando por mim...


Foto Vera Alvarenga

quarta-feira, 3 de setembro de 2014

teu olhar me faz corar...

Sob teus cuidados, delicadamente floresço
teu olhar me faz enrubescer,
cresço em potencialidade
no jardim daquele que me ama...

Foto/texto: Vera Alvarenga

Compartilhe com...

 
Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 Unported License. diHITT - Notícias